Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Guarujá

 

Audiência Pública em Brasília sobre Profissionais estrangeiros no Brasil

08/04/2013

Na próxima terça-feira, 9 de abril, profissionais da área tecnológica do estado de São Paulo participarão de audiência pública para debater a crescente invasão de empresas e engenheiros estrangeiros no Brasil. A audiência acontecerá às 14h30 no Plenário 12 do Anexo II da Câmara dos Deputados, em Brasília/DF.

O grupo de São Paulo incluirá membros da Diretoria do Crea-SP, Coordenadores de Câmaras Especializadas e intees da Comissão criada para tratar do assunto.

A iniciativa do Conselho vai contar com a parceria do Sindicato Nacional das Empresas da Arquitetura e Engenharia Consultiva - Sinaenco.

Para definir os detalhes da audiência pública, foi realizada reunião na Sede Faria Lima no dia 3 de abril, com a participação do Presidente do Crea-SP, Eng. Francisco Kurimori o Presidente do Sinaenco, Eng. José Roberto Bernasconi o Secretário Geral, Geol. Nivaldo Bósio a Chefe de Gabinete, Eng. Elisabete Rodrigues os Superintendentes Eng. Agr. Alceu Molina, Antony Araújo Couto e Nivaldo Pupato os engenheiros membros da Comissão, Áureo Emanuel Pasqualeto Figueiredo, Antonio Moacir Rodrigues Nogueira, Gumercindo Ferreira da Silva, Fábio Antonio Barbosa e Ana Margarida Malheiro Sansão e as assessoras da Presidência, Sonia Maria Morandi Moreira de Souza e Eng. Agr. Thaís Rocha P. Pascholati.

Dados do Ministério do Trabalho mostram que a concessão de vistos para trabalhadores estrangeiros no Brasil subiu 3,54% em 2012. No caso de vistos permanentes, as concessões subiram 117%. Nas autorizações temporárias, as principais áreas apontadas para os trabalhadores estrangeiros foram: engenharia, tecnologia, análise de sistemas, petróleo e gás, construção civil e obras de infraestrutura.

Houve um crescimento de 23% na presença de profissionais estrangeiros ligados à assistência técnica, decorrente do aumento na demanda por máquinas, equipamentos e transferência de tecnologia para empresas no Brasil.

De acordo com o Ministério do Trabalho, os profissionais autorizados a trabalhar no Brasil também estão mais qualificados. Entre 2011 e 2012 houve aumento de 9,5% no total de mestres e doutores autorizados a trabalhar temporariamente.
“Vivemos uma onda crescente de autorizações de trabalho para estrangeiros. A grande maioria desses profissionais possui nível superior completo e técnico. São Paulo é o estado que mais absorve esses profissionais, que estão entrando nas áreas em que a atividade econômica é mais intensa. Esses dados mostram que a nossa preocupação estava certa ao buscarmos condições para a realização dessa audiência pública”, destacou o Presidente do Crea-SP.

“Na década de 1970, devido à crise pela qual passava o Brasil, deixamos de formar engenheiros consequentemente, não se renovaram os quadros técnicos, houve um envelhecimento da nossa engenharia”, disse o Eng. Bernasconi, lembrando que, para qualificar esse grupo mais jovem de engenheiros brasileiros, o trabalho necessário para treinamento, formação e ganho de experiência levaria muito tempo.

“Falta um grupo intermediário, temos esse ‘gap’ entre os engenheiros veteranos e os recém-formados. Poucas empresas hoje no Brasil têm capacidade para treinar esse pessoal e qualificá-lo, como fazem a Petrobras e a Vale”, disse o Geólogo Bósio.

“Não se pode impedir a entrada de estrangeiros, mas é preciso criar mecanismos de facilitação e suporte para que as empresas instaladas no Brasil contratem o profissional, a pessoa física, não a jurídica. Chamá-lo para jogar no nosso time, junto com nossa equipe, que vai absorver esse conhecimento”, destacou o Presidente do Sinaenco.“É preciso ficar atento: quem é esse especialista que vai entrar no País? É pouco provável que tragam profissionais gabaritados para essas atividades, apenas para cargos de gerenciamento, o que é preocupante”, disse o Geólogo Bósio.

“A política praticada nos últimos tempos é a de facilitação da imigração, mas hoje, no Sistema Confea/Crea, esses profissionais estão entrando pelas portas do fundo, ou seja, sem o devido registro. Visando à solução do problema, a Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República e o Ministério do Trabalho foram convidados a participar da audiência pública”, finalizou Kurimori.

Produzido pelo Departamento de Comunicação do Crea-SPReportagem e fotos: Jorn. Perácio de Melo - DCO/SUPCEV

 

Aea Guarujá